quinta-feira, 1 de setembro de 2016

O PAPEL DO NEGRO NA SOCIEDADE

Por Clarisse da Costa (Biguaçu, SC)

Muito é falado e pouco é feito, o papel do negro na sociedade vai além do trabalho mal remunerado no setor informal. O negro apesar da grande contribuição na cultura,na linguagem e tantos outros setores continua no papel de excluído. Excluído pela sociedade. A sua herança histórica no Brasil retrata um cenário de desigualdade e segregação. O cidadão negro de pele escura é alvo de insultos, preconceitos e tantos abusos de coro racista. Tal forma que nos dias atuias é expressado por atitudes banais, ocultamente em nosso cotidiano. O papel do negro embora fundamental para a sociedade brasileira, é visto com olhos distorcidos. Pouco vemos em telenovelas negros,em propagandas felizes de margarina... É uma raridade. E por que? O estereótipo do negro escravo e sofredor é tão forte ainda, que é difícil enxergar no negro, o lutador, guerreiro e alegre?
O negro não ocupa espaço em outros setores. Raramente se vê o negro na igreja, na Câmara Municipal, nos consultórios… O espaço do negro é ilusório. Como um produto, uma mercadoria, foi essencial para a formação nacional do Brasil. Mercadoria? Sim. Foi assim que foi importado, como uma mercadoria. Mercadoria que não só pela riqueza do seu trabalho que foi capaz de gerar trouxe uma vasta cultura, e porcamente é valorizado.
E posso afirmar que todos nós temos um pouco de negro. A nossa cultura não é bem brasileira, é negra, influenciada pelos negros vindos da África. Ou seja, uma cultura afro-brasileira, marcada pela religiosidade, música, samba e culinária.
E também marcada pelas expressões como batuque, angu, cachimbo, moleque, senzala, maracatu… Sua presença incomoda há muitos, seu cabelo é inaceitável. Até quando o negro será marginalizado?


Sobre a autora:Clarisse da Costa é mulher negra, produtora cultural e em Biguaçu,SC.

Nenhum comentário:

Postar um comentário